Buscar
  • Viviane Lopes

O cuidado vai além de um corpo perfeito



Olá mulheres lindas! Meu nome é Viviane, nasci no Brasil e na minha infância me mudei com minha mãe para Vancouver no Canadá. Aqui, fiz minha graduação em Psicologia e Educação Física e trabalho como Personal Trainer há 17 anos. Eu amo a minha profissão! Através dela, tenho contato com pessoas de várias faixas etárias, culturas e objetivos. Mas, o que me realmente me motiva e traz grande satisfação é o trabalho que faço com as mulheres.

Ainda hoje, existe muita pressão em cima das mulheres em ter o “corpo perfeito”. Muitas vezes, essa busca afeta a autoestima e a sua saúde física e mental. Meu trabalho com as mulheres abrange tanto as adolescentes quanto as que estão na terceira idade - sempre focando no autocuidado. Me sinto muito grata em fazer parte desse universo feminino!

É na adolescência que aprendemos um pouco mais sobre nosso corpo. Notamos as transformações, sentimos os hormônios a flor da pele. Mas, é nessa fase também, que somos ensinadas a ser vaidosas e atraentes e entramos na busca incessante de perfeição. Com o boom da internet, onde tudo é tão acessível, isso ficou mais evidente. Diariamente, somos bombardeados com fotos (a maioria com filtros e photoshop) e vídeos diversos: pessoas malhando, fazendo procedimentos estéticos e cirúrgicos, cultuando modismos como a harmonização facial e uma padronização de beleza inalcançável e infundada. Quem nunca escutou a expressão “bumbum na nuca” ou até mesmo “no pain no gain”?

Mulheres jovens estão morrendo por causa de esteroides, ficando com sequelas ou perdendo a vida por causa de procedimentos muitas vezes desnecessários como lipoaspiração. Muitas delas desenvolvem distúrbios alimentares por não aceitarem seu corpo O que estamos ensinando as nossas filhas, irmãs, primas? Porque temos que “competir” umas com as outras ou nos autossabotarmos nos colocando para baixo? É isso que é tido como ideal?

Mulheres grávidas e as que estão tentando engravidar, na grande maioria sente medo de engordar e acaba deixando de lado a sua própria saúde. Muitas delas circulam entre dois extremos: ou fazem exercícios em demasia e dietas restritivas ou não fazem nada com medo de machucar o bebê e terminam “comendo por dois”. A imagem imposta é da barriguinha de grávida perfeita, com seios grandes e o resto do corpo fino. Porém, a gestação é muito mais do que isso. Tem mulheres que ficam com diabetes gestacional, pressão alta e até separação abdominal. Como ajudar uma mulher que sua gestação não é como ela esperava?


Hoje em dia, temos massagistas especializadas em pré-natal, personal trainer especializado em gravidez, aulas sobre como se preparar para a maternidade. Nossa saúde física, mental e emocional são super importantes e fazem parte do nosso autocuidado. Isso não tem preço!

Mães: adoro trabalhar com pós-parto! Muitas vezes com a maternidade, só lembramos de ser mãe e nos esquecemos que somos mulheres antes de tudo. O tempo é dedicado aos filhos integralmente. A autoestima e autocuidado, basicamente deixam de existir. É especialmente nessa fase que você mulher tem que se cuidar. O autocuidado da mãe é importantíssimo! Ninguém poderá fazer isso por você. Em primeiro lugar, você precisa estar bem para que seu filho fique bem e não o contrário. Hoje em dia temos aulas de baby & me, onde as mães fazem exercício com os seus bebês, sem precisar deixá-los com uma babá. Nessas aulas, as mães fazem amizade com outras mães, falam sobre seus partos e criam uma comunidade de suporte para elas, inclusive para aquelas que sofrem de depressão pós-parto. Essa coisa de que “eu não tenho tempo” é uma desculpa que achamos para não nos cuidar. Como que achamos tempo para os outros, para as redes sociais, para assistir séries, mas não temos tempo para nós?



Mulheres, mães ou não, uma dica para todas vocês: escolha 5 minutos do seu dia e faça meditação. Pode ser até mesmo na hora do banho. Coloque uma música, respire, relaxe. Você verá que o seu dia vai ficar muito melhor e sua autoestima também.

Trabalhar com mulheres na terceira idade também é muito gratificante. Elas já sabem o que é o autocuidado. Elas escutam mais os conselhos dos médicos. Talvez, por esse motivo elas levem mais a sério os cuidados com a saúde. Durante a menopausa, nós mulheres estamos mais suscetíveis a fraturas por causa da falta de estrogênio. Por esse motivo, a osteoporose é mais comum em mulheres do que em homens.

É muito importante, também, trabalhar o lado social na terceira idade por causa da depressão. É nesse momento que entra o meu trabalho como Psicóloga, atrelado ao de Personal Trainer. Ao mesmo tempo em que conversamos assuntos aleatórios, passo exercícios para o equilíbrio e coordenação motora e trabalho o cérebro das minhas pacientes fazendo-as contar as repetições na ordem crescente e decrescente.



Como personal, o meu papel é achar uma maneira divertida de fazer com que as mulheres se sintam bem e não fiquem tão obcecadas em atingir uma meta irreal. Temos que respeitar os limites do nosso corpo. Precisamos sentir orgulho da nossa jornada individual. Muitas vezes, o papel do personal, acaba sendo um pouco de psicólogo também. Temos que entender quando a pessoa não está bem, quando está pra baixo. Claro que não é tarefa dele diagnosticar os alunos, mas podemos motivá-los corretamente. Se o foco for apenas em um corpo tido como “ideal”, esquecemos do mais importante: o bem estar proveniente do equilíbrio entre corpo, mente e espírito. Quando o prazer em se exercitar vira uma terapia e um encontro feliz entre pessoas, existe uma troca que faz muito bem à saúde. E isso, para mim, vale tudo!!!


Linda, doce, leve, de espírito livre, amante da natureza e da própria companhia. Essa é a Viv. Brasileira, radicada em Vancouver/Canadá há quase 30 anos, a Psicóloga e personal trainer Viviane de Menezes Lopes, conta aqui na Mezcla Mulher, um pouco do seu trabalho com foco no universo feminino. É uma honra te receber e compartilhar vivências com você Viv!!!

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mudar